logo

Bem Vindos ao Nutrição e Desenvolvimento

Horário de Atendimento
Segunda - Sexta 09:00AM - 17:00PM
Sábado - Domingo FECHADO
NOSSA GALERIA

Seg - Sex 9.00 - 17.00 Sab - Dom FECHADO

55-11-3845-7267

R. Guarará, 529 - Cj. 58 - Jardim Paulista, São Paulo

Top

Padrão alimentar saudável reduz risco de doenças crônicas

Geralmente, seguir uma dieta e padrões de estilo de vida saudáveis reduz o risco de aparecimento de diabetes tipo 2 e doença arterial coronariana. Recentemente, um novo estudo sobre mulheres americanas forneceu fortes evidências de que a adoção de padrões alimentares saudáveis reduz o aparecimento de doenças cardiometabólicas e endócrinas.

A maioria das doenças crônicas que persistem por períodos mais longos são comumente associadas com deficiência grave de saúde e causam mortalidade global. Essas doenças incluem doenças cardiovasculares (doença cardíaca e acidente vascular cerebral), doenças respiratórias crônicas e doenças endócrinas (diabetes). Os múltiplos mecanismos biológicos responsáveis pela patologia das doenças crônicas envolvem as vias inflamatórias, cardiometabólicas e endócrinas. Portanto, é importante tomar as medidas necessárias para a sua gestão, bem como melhorar as condições de saúde desses pacientes. No entanto, poucos estudos revelaram uma relação entre padrões alimentares saudáveis e doenças dos sistemas cardiometabólico e endócrino. A fim de estabelecer uma avaliação abrangente da associação entre os padrões dietéticos e doenças crônicas, um estudo foi realizado por pesquisadores do Departamento de Nutrição da Harvard, EUA, e os principais resultados foram publicados no American Journal of Clinical Nutrition, 2016.

Um estudo transversal foi conduzido em 775 mulheres saudáveis dos EUA no Estudo de Validação do Estilo de Vida de Mulheres (Women’s Lifestyle Validation Study), que incluiu dois grupos: NHS (Nurses Health Study) e NHS II para compreender a influência da dieta sobre as doenças crônicas. Os pesquisadores consideraram três métodos dietéticos saudáveis [a abordagem dietética para parar a hipertensão (DASH), a dieta mediterrânea alternativa (aMED), e o Índice Alternativo de Alimentação Saudável (aHEI)] para estabelecer a associação de biomarcadores plasmáticos cardiometabólico e endócrino que não foram influenciados por quaisquer fatores relacionados ao comportamento ou à saúde. Os biomarcadores considerados para o estudo incluíram a pró-insulina, peptídeo C, insulina, proteína 3 de ligação ao fator de crescimento do tipo insulina (IGFBP-3), fator de crescimento semelhante à insulina tipo 1 (IGF-1), adiponectina, leptina, receptor solúvel de leptina (sR), colesterol total, colesterol HDL, triglicerídeos, folato e globulina de ligação ao hormônio sexual (SHBG).

Em primeiro lugar, o escore dietético revelou que a DASH apresentou maior aderência com altas concentrações de HDL (9%) e SHBG (21%), enquanto que a leptina (28%), triglicerídeos (19%) e C-peptídeo (4%) estavam em menores concentrações. Em segundo lugar, o padrão aMED mostrou associação com SHBG (19%) em maior concentração e triglicerídeos (16%) em menor concentração. Por fim, o padrão aHEI foi significativo em maiores concentrações de insulina (16%) e SHBG (19%) e menores concentrações de leptina (18%).

Curiosamente, essas associações persistiram mesmo após o ajuste do índice de massa corpórea (IMC), indicando que algumas dessas associações podem ser influenciadas pelo peso corporal. Portanto, o estudo de três padrões alimentares saudáveis representa uma associação com vários biomarcadores cardiometabólicos e endócrinos.

Em resumo, a adesão a padrões alimentares saudáveis tem significativo impacto positivo no aparecimento de doenças crônicas relacionadas a atividades cardiometabólicas e endócrinas. Além disso, melhorias no desenho do estudo, generalização de resultados para outras populações em vez de caucasianas e medições múltiplas das concentrações plasmáticas dos biomarcadores teriam reforçado ainda mais o impacto-chave dos padrões alimentares saudáveis nas doenças crônicas.

Traduzido por Essential Nutrition

Share

No Comments

Post a Comment