logo

Bem Vindos ao Nutrição e Desenvolvimento

Horário de Atendimento
Segunda - Sexta 09:00AM - 17:00PM
Sábado - Domingo FECHADO
NOSSA GALERIA

Seg - Sex 9.00 - 17.00 Sab - Dom FECHADO

55-11-3845-7267

R. Guarará, 529 - Cj. 58 - Jardim Paulista, São Paulo

Top

Açaí lidera a lista de super antioxidante

Conheça quais alimentos lideram a lista e os benefícios de consumi-los regularmente. Efeito de regeneração após desempenho muscular, antioxidante e protetor do coração são apenas alguns deles. 

Anunciado comercialmente há anos como um “superalimento”, só recentemente o açaí ganhou validação científica convincente como um potente captador de radicais livres . Em um estudo verificou-se que o açaí liofilizado (extrato ultra concentrado com excelente poder nutricional) possui uma excepcional atividade antioxidante. Em outras palavras, o açaí em pó apresentou capacidade de entrar nas células de forma funcional e eficaz para neutralizar os radicais livres. E não é por acaso que o fruto se tornou sucesso mundial, ele figura no topo do ranking dos alimentos antioxidantes, estando muito à frente das romãs, amoras pretas e vermelhas, mirtilos, uvas e morangos9, além da constatação de que a atividade antioxidante do plasma humano aumenta significativamente após o consumo de polpa e suco de açaí.

O fruto também apresentou atividade anti-inflamatória através da inibição dos precursores inflamatórios COX-1 e COX-2, que pode ter a capacidade de proporcionar alívio da dor e inflamação.

Para medir a força antioxidante de vários alimentos, os cientistas usam o que é conhecido como ORAC (Oxygen Radical Absorbance Capacity ou capacidade de absorção dos radicais oxigenados – método de quantificação das capacidades antioxidantes nas amostras biológicas). Enquanto as amoras e pequenas frutas de cor escura contém pontuação maior do que a maioria das outras frutas e vegetais, o açaí possui um dos maiores valores ORAC conhecidos até o momento.

 

Benefícios na longevidade e doenças crônicas 

Suas potentes propriedades antioxidantes e perfil polifenoico benéfico endossam o açaí com uma habilidade singular para combater o envelhecimento celular e danos oxidativos ou seja, incidência de doenças crônicas. Um estudo sobre o tempo de vida e sobrevivência das moscas Drosophila melanogaster constatou que a suplementação dietética de 2% de açaí aumentou a expectativa de vida das fêmeas alimentadas com uma dieta rica em gordura em cerca de 20%, em comparação com controles alimentados com uma dieta rica em gordura, mas sem a suplementação de açaí. A investigação científica sugere que, em conjunto com os alimentos semelhantemente pigmentados e ricos em antocianinas (amoras e framboesas), o açaí pode servir como uma defesa na linha de frente contra várias doenças do envelhecimento.

Há também evidências em progresso e resultados animadores do papel do açaí na luta contra o câncer desde que misturas de extratos polifenólicos de celulose e óleo de açaí inibiram em até 90,7%a proliferação de células cancerígenas do cólon humano em laboratório. Em outro estudo sobre as células de leucemia humana observou-se que os polifenóis do açaí reduziram sua proliferação em 56 a 86%.Já um estudo de pesquisadores brasileiros feito em 2014 concluiu que o açaí tem potencial efeito anti-carcinogênico na linha de células MCF-7 (linha celular de tumor maligno da mama humana usada em pesquisas), causando redução da viabilidade celular, alterações morfológicas e indução da autofagia.

O polifenol presente nas frutas e plantas contribui como vasoprotetor, antiangiogênico, antiaterogênico, vasorrelaxante e efeito anti-hipertensivo, sendo considerado, portanto, como protetor do coração. E, seguindo sobre o benefício cardiovascular do açaí, um estudo mostrou que sua suplementação reduziu o colesterol total e o colesterol não HDL em animais.Estudo publicado na revista Atherosclerosis descobriu que o suco de açaí protege contra a aterosclerose (endurecimento das artérias), inibindo a produção de citocinas pró-inflamatórias.

Já a elevada capacidade antioxidante do açaí beneficia também a função do cérebro, com potenciais implicações para o tratamento de perturbações neurológicas, incluindo a doença de Alzheimer e doença de Parkinson. Uma pesquisa mostrou que o pré-tratamento do tecido do cérebro a partir do córtex cerebral, cerebelo e hipocampo com polpa de açaí congelada diminuiu o dano induzido por ROS – espécie reativa de oxigênio – de lipídeos e proteínas em todos os tecidos cerebrais testados.

 

Vitalizante e Energético 

Alimento preferido de muitos atletas, a açaí é rico em nutrientes que ajudam na recuperação da atividade física. A principal fonte de energia de um alimento vem na forma de gorduras. Enquanto os carboidratos (especialmente em sua forma simples, o açúcar) liberam energia para o corpo de forma rápida (fazendo o pico e queda de energia ser associado aos alimentos doces), as gorduras fornecem liberação de energia mais lenta após o consumo, fornecendo uma energia mais sustentável e mais duradoura. Se você já escutou que o açaí é energético e vitalizante, isso se deve aos seus ácidos graxos insaturados, gorduras de perfil semelhante as do azeite de oliva, mas também, vitaminas do complexo B, potássio e proteínas. Fora isso, o guaraná rotineiramente é adicionado ao açaí, provendo uma sensação extra de energia. Mas cuidado com o xarope de guaraná! Na sua lista de ingredientes, o açúcar provavelmente vem em primeiro lugar, significando conter em maior quantidade, antes da água, do guaraná, aroma e conservantes. Muitas pessoas acreditam que o açaí engorde, mas o problema não é o seu teor de lipídeos desde que possui alto nível de antocianinas (ajudantes na queima de gordura)15, fibras e extremamente pouco açúcar (é uma fruta com baixíssima carga glicêmica: 0,5), e sim o que pode acompanhá-lo: xarope de guaraná, leite condensado, granola, leite em pó, entre outros.

 

Fonte: Revista Essentia Pharma Edição 8

Share

No Comments

Post a Comment