logo

Bem Vindos ao Nutrição e Desenvolvimento

Horário de Atendimento
Segunda - Sexta 09:00AM - 17:00PM
Sábado - Domingo FECHADO
NOSSA GALERIA

Seg - Sex 9.00 - 17.00 Sab - Dom FECHADO

55-11-3845-7267

R. Guarará, 529 - Cj. 58 - Jardim Paulista, São Paulo

Top

Prebióticos melhoram o sono e o estresse

Nos últimos anos, muitas pesquisas têm lançado luz sobre os benefícios dos probióticos para a saúde, as “boas bactérias” encontradas em alimentos fermentados e suplementos dietéticos. Agora, um estudo pioneiro de sua espécie, realizado por cientistas da Universidade de Colorado Boulder, sugere que os menos conhecidos promotores de saúde intestinal conhecidos como prebióticos – os quais servem como alimento para as boas bactérias dentro do intestino – também podem ter um impacto, melhorando o sono e reduzindo os impactos fisiológicos do estresse.

“Descobrimos que os prebióticos podem melhorar o sono não-REM, assim como o sono REM após um evento estressante”, relatou Robert Thompson, pesquisador pós-doutorado do Departamento de Fisiologia Integrativa e primeiro autor do novo estudo, publicado em Frontiers in Behavioral Neuroscience.

Os prebióticos são fibras dietéticas encontradas naturalmente em alimentos como chicória, alcachofras, alho, alho-poró e cebola. Quando as bactérias benéficas digerem a fibra prebiótica, elas não só se multiplicam, melhorando a saúde geral do intestino, mas também liberam subprodutos metabólicos. Algumas pesquisas sugerem que esses subprodutos podem influenciar a função cerebral, explica a autora principal Monika Fleshner, professora do Departamento de Fisiologia Integrativa.

Para o estudo, os pesquisadores forneceram a ratos com 3 semanas de idade uma dieta padrão ou uma dieta padrão acrescentada de prebióticos. Eles então monitoraram a temperatura corporal dos animais, as bactérias intestinais e os ciclos sono-vigília – usando EEG, ou teste de atividade cerebral – ao longo do tempo.

Descobriram que os ratos na dieta prebiótica gastavam mais tempo no sono não-REM (NREM), o qual é repousante e restaurador, do que aqueles na dieta não prebiótica.

“Dado que suficiente sono NREM e nutrição adequada podem afetar o desenvolvimento e função do cérebro, e que os problemas de sono são comuns no início da vida, é possível que uma dieta rica em prebióticos (já no início da vida) poderia ajudar a melhorar o sono, apoiar a microbiota intestinal e promover óptima saúde (psicológica) do cérebro”, escreveram os autores.

Depois de serem expostos a um estressor, o grupo na dieta prebiótica também passou mais tempo no sono com movimento rápido dos olhos (REM). Acredita-se que o sono REM seja crítico para promover a recuperação do estresse, com pesquisas mostrando que, após um trauma, aqueles com mais sono REM são menos propensos a sofrer de transtorno de estresse pós-traumático.

O estresse foi demonstrado anteriormente para reduzir a diversidade saudável de bactérias intestinais e para levar a uma diminuição temporária de flutuações naturais na temperatura corporal.

Mas os ratos na dieta prebiótica foram poupados desses impactos, mantendo uma microbiota intestinal saudável e diversa e flutuações normais de temperatura, mesmo após a exposição ao estresse.

Fleshner disse que é muito cedo para recomendar suplementos prebióticos como um auxiliar ao sono. Mais estudos estão em andamento para analisar o papel que os prebióticos podem desempenhar na promoção do sono ou o estresse nas pessoas.

Mas ela recomenda o carregamento de fibra prebiótica através dos alimentos. “Não machuca e pode ajudar.”

Traduzido por Essential Nutrition

Fonte: http://www.colorado.edu/today/2017/02/23/dietary-prebiotics-improve-sleep-buffer-stress

 

Share

No Comments

Post a Comment