logo

Bem Vindos ao Nutrição e Desenvolvimento

Horário de Atendimento
Segunda - Sexta 09:00AM - 17:00PM
Sábado - Domingo FECHADO
NOSSA GALERIA

Seg - Sex 9.00 - 17.00 Sab - Dom FECHADO

55-11-3845-7267

R. Guarará, 529 - Cj. 58 - Jardim Paulista, São Paulo

Top

Tem pressão alta? Coma mais legumes e frutas

Comer Alimentos ricos em potássio como batata doce, abacate, espinafre, feijão, banana – e até mesmo café – pode ser fundamental para reduzir a pressão arterial, de acordo com Alicia McDonough, PhD, professora de células e neurobiologia da Keck School of Medicine A Universidade do Sul da Califórnia (USC).

“Diminuir a ingestão de sódio é uma forma bem estabelecida para baixar a pressão arterial”, diz McDonough, “mas a evidência sugere que o aumento do potássio na dieta pode ter um efeito igualmente importante sobre a hipertensão”.

A hipertensão é um problema de saúde global que afeta mais de um bilhão de pessoas em todo o mundo. A Organização Mundial da Saúde estima que a hipertensão arterial é responsável por pelo menos 51 por cento das mortes por acidente vascular cerebral e 45 por cento das mortes por doença cardíaca.

McDonough explorou a ligação entre a pressão sanguínea ea dieta de sódio, potássio e a relação sódio-potássio em um artigo de revisão publicado na edição de abril de 2017 do American Journal of Physiology – Endocrinology and Metabolism. A revisão analisou a população, intervenção e estudos de mecanismo molecular que investigou os efeitos da dieta de sódio e potássio na hipertensão.

A revisão de McDonough encontrou diversos estudos da população que demonstram que o potássio dietético mais elevado (estimado da excreção urinária ou da recordação dietética) foi associado com a pressão de sangue mais baixa, não obstante a entrada do sodium. Estudos intervencionistas com suplementação de potássio também sugeriram que o potássio fornece um benefício direto.

McDonough reviu estudos recentes em modelos de roedores, de seu próprio laboratório e outros, para ilustrar os mecanismos de benefício do potássio. Estes estudos indicaram que o corpo faz um ato de equilíbrio que usa sódio para manter o controle de níveis de potássio no sangue, que é fundamental para o coração normal, nervo e função muscular.

“Quando o potássio dietético é alto, os rins excretam mais sal e água, o que aumenta a excreção de potássio”, diz McDonough. “Comer uma alta dieta de potássio é como tomar um diurético.”

Aumentar o potássio dietético vai levar um esforço consciente, no entanto. McDonough explica que nossos ancestrais adiantados comeram as dietas primitivas que eram elevadas nas frutas, nas raizes, nos vegetais, nos feijões e nos grãos (toda mais elevada no potássio) e muito baixa no sodium. Como resultado, os seres humanos evoluíram para crave sódio – mas não potássio. As dietas modernas, no entanto, mudaram drasticamente desde então: as empresas de alimentos processados ​​adicionam sal para satisfazer nossos desejos e os alimentos processados ​​são geralmente baixos em potássio.

“Se você comer uma dieta típica ocidental”, diz McDonough, “sua ingestão de sódio é alta e sua ingestão de potássio é baixa.Isto aumenta significativamente as chances de desenvolver pressão alta”. Quando o potássio dietético é baixo, o ato de equilíbrio usa retenção de sódio para segurar o potássio limitado, que é como comer uma dieta mais elevada de sódio, diz ela.

Mas quanto potássio dietético devemos consumir? Um relatório do Instituto de Medicina 2004 recomenda que os adultos consomem pelo menos 4,7 gramas de potássio por dia para baixar a pressão arterial, franzir os efeitos do sódio dietético e reduzir os riscos de cálculos renais e perda óssea, diz McDonough. Comer ¾ xícara de feijão preto, por exemplo, irá ajudá-lo a atingir quase 50 por cento de seu objetivo diário de potássio.

McDonough recomenda o desenvolvimento de políticas públicas para aumentar a ingestão de potássio dietético a partir de fontes vegetais. Ela também defende a adição de conteúdo de potássio para rótulos de nutrição para ajudar a aumentar a consciência dos consumidores de fontes econômicas de potássio.

Tradução por Nutrição e Desenvolvimento de Science Daily 

Share

No Comments

Post a Comment