logo

Bem Vindos ao Nutrição e Desenvolvimento

Horário de Atendimento
Segunda - Sexta 09:00AM - 17:00PM
Sábado - Domingo FECHADO
NOSSA GALERIA

Seg - Sex 9.00 - 17.00 Sab - Dom FECHADO

55-11-3845-7267

R. Guarará, 529 - Cj. 58 - Jardim Paulista, São Paulo

Top

Sinais e Sintomas de que você pode estar com deficiência de vitamina D

O que é, para que serve e de quanto precisamos?

Diferente das outras vitaminas, a Vitamina D funciona como um hormônio, e todas as células do corpo tem um receptor para ela. Compare em perspectiva com a frutose, hoje considerada um dos principais venenos para a Saúde, tão indesejável para o corpo que nenhuma célula tem receptor para a mesma – exceto o fígado, para eliminar a mesma.

O corpo produz a Vitamina D a partir do colesterol, quando a pele é exposta à luz solar, convertendo o colesterol na tão importante vitamina. Isso mesmo: sem colesterol não há Vitamina D. Ainda considera o colesterol um inimigo da Saúde?

Também é encontrada em certos alimentos, como peixes e produtos lácteos enriquecidos, no entanto, a dieta é uma fonte inadequada para a Vitamina D. O ideal seria realmente banhar-se no sol com regularidade, coisa que a maioria de nós não faz nesta realidade moderna em que passamos a maior parte de nosso tempo em ambientes fechados.

A ingestão diária recomendada oficial é geralmente em torno de 400-800 UI, mas os grandes especialistas são unânimes em afirmar que precisamos de maior quantidade.

A deficiência de Vitamina D é bastante comum. Estima-se que cerca de 1 bilhão de pessoas no mundo têm baixos níveis de vitamina D no sangue (2), e isto considerando os baixos índices considerados “suficientes” pelas medições oficiais.

De acordo com um estudo de 2011, 41,6% dos adultos nos EUA são deficientes. Este número sobe para 69,2% em hispânicos e 82,1% em afro-americanos (3). Ou seja: quanto mais escura a pele, mais tempo de sol é necessário.

Estes são fatores de risco comuns para a deficiência de vitamina D:

  • Ter a pele escura e não passar um tempo bom sob o sol.
  • Estar acima do peso ou obeso. 
  • Viver longe do equador, onde há pouco de sol durante o ano.
  • Sempre usar protetor solar quando sair (sim, protetor solar interfere na síntese de Vitamina D).
  • Passar a maior parte do tempo dentro de ambientes fechados.

As pessoas que vivem perto do equador e se expõem frequentemente ao sol raramente apresentam deficiências, pois a pele é capaz de produzir vitamina D suficiente para satisfazer as necessidades do corpo. Este é, aliás, o caminho ideal para obter este tipo de nutrição.

A maioria das pessoas não percebe a deficiência, uma vez que os sintomas são geralmente sutis. Você pode não percebe-los facilmente, mas estar alerta para os mesmos pode te ajudar a evitar pagar o alto preço cobrado por uma deficiência de Vitamina D3 – como ossos fracos e quebradiços, problemas imunes, cognitivos e muitos outros.

Deficiência de vitamina D

Consequentemente, a deficiência de vitamina D passou a ser significativamente associada a diversos problemas, conforme destaca André Franco:

  • Doenças crônicas, como as condições autoimunes, como a esclerose múltipla, a artrite reumatoide e o diabetes do tipo 1;
  • Vários tipos de câncer;
  • Doenças cardiovasculares;
  • Diabetes do tipo 2;
  • Doenças neurológicas e psiquiátricas;
  • Doenças infecciosas, tais como infecções respiratórias, pneumonia, otite média, infecções urinárias, gripe, dengue, hepatite B, hepatite C, tuberculose;
  • Resultados adversos da gestação e do parto;
  • Mortalidade em geral.

“Paralelamente a isso, muitos estudos têm demonstrado que cerca de cinquenta por cento da população mundial, devido a hábitos de vida modernos, sofre com a sua deficiência. Com essas informações, dá pra ter uma ideia da importância que ela tem para a saúde de crianças e adultos, e das consequências que sua deficiência crônica pode levar”, acrescenta André Franco.

Sintomas da deficiência de vitamina D

André explica que, na maioria das pessoas, a deficiência de vitamina D é assintomática. Porém, alguns sintomas, como os citados abaixo por ele, podem estar relacionados a este problema:

  1. Fadiga sem explicação
  2. Dor musculoesquelética
  3. Fraqueza muscular
  4. Dores articulares
  5. Baixa resistência a infecções

Portanto, caso você esteja com algum desses sintomas, vale a pena se consultar com um médico e conversar com ele a respeito do assunto. A melhor maneira de descobrir a deficiência de vitamina D é fazer um teste de sangue que medirá o nível dessa vitamina.

Fontes: Vitamina D BrasilFlávio Passos

Share

No Comments

Post a Comment