logo

Bem Vindos ao Nutrição e Desenvolvimento

Horário de Atendimento
Segunda - Sexta 09:00AM - 17:00PM
Sábado - Domingo FECHADO
NOSSA GALERIA

Seg - Sex 9.00 - 17.00

55-11-3845-7267

Whatsapp 55-11-9833-2857

R. Guarará, 529 - Cj. 58 - Jardim Paulista, São Paulo

Top

Enzimas digestivas: O que são e como atuam?

Responsáveis por digerir os nutrientes dos alimentos, as enzimas digestivas têm papel fundamental em nossa saúde. Descubra quais são as mais importantes e saiba como podem ser suplementadas.

A dificuldade em digerir glúten e lactose está entre os problemas digestivos mais observados atualmente. Muitas vezes, este problema está associado ao declínio natural na produção de enzimas pelo organismo. E com o aparecimento dessas e outras restrições alimentares, é crescente o número de pessoas que buscam informações sobre o papel e as opções de suplementação com enzimas. Essas e outras perguntas serão respondidas neste texto.

O que são enzimas digestivas

As enzimas digestivas são moléculas produzidas pelo nosso organismo e também disponíveis em alimentos crus, que aceleram reações químicas. Na digestão, são responsáveis pela quebra das macromoléculas presentes nos alimentos em moléculas menores, facilitando assim sua absorção pelo intestino, além de deixar os micronutrientes (vitaminas e minerais) livres e disponíveis para o processo de absorção, nutrindo e fornecendo energia às células.

Enzimas consideradas fundamentais

DPP-IV: tem ação sobre a caseína e o glúten, substâncias alergênicas e muitas vezes responsáveis por gases e inchaço;
Amilase e amilase bacteriana: auxiliam na quebra do amido, transformando-o em maltose e glicose;
Alfa-galactosidase: auxilia na quebra de carboidratos simples e complexos (oligossacarídeos e polissacarídeos) presentes no brócolis, ervilha, feijão, dentre outros alimentos;
Xilanase: auxilia na quebra das hemiceluloses, um dos principais componentes das paredes celulares dos vegetais;
Lactase: auxilia na quebra da lactose (açúcar do leite), transformando-a em glicose e galactose;
Celulase: auxilia na quebra da fibra insolúvel celulose (componente mais abundante da parede celular dos vegetais);
Bromelina: auxilia na quebra das proteínas;

Pectinase: auxilia na quebra da pectina, um dos principais componentes da parede celular dos vegetais;
Maltase: auxilia na quebra da maltose (açúcar dos cereais), transformando-a em glicose;
Lipase: atua sobre os lipídios, transformando-os em ácidos graxos e glicerol;
Invertase: auxilia na quebra da sacarose (açúcar refinado), transformando-a em frutose e glicose;
Hemicelulase: capaz de digerir as hemiceluloses (polissacarídeos que juntos com a celulose e a pectina formam a parede celular dos vegetais);
Glicoamilase: auxilia na quebra do amido, transformando-o em glicose;
Protease: que auxilia na quebra das proteínas;
Protease ácida estável: resistente ao pH ácido, que auxilia na quebra das proteínas.

Como dá pra perceber em uma leitura atenciosa, essas 16 enzimas podem ser associadas pela sua atuação. Confira a explicação de alguns desses processos:

Quebra da lactose

Para ser absorvida, a lactose precisa ser quebrada em componentes menores: a glicose e a galactose. Depois de absorvidos, desempenham papéis como fonte de energia e componente de glicolípidos e glicoproteínas.

Quebra da proteína

As proteínas são quebradas em aminoácidos, que têm diversas utilidades no nosso organismo. Elas estão envolvidas na reparação muscular, na produção de energia durante atividades físicas, na síntese de colágeno e elastina, na sinapse neuronal e em vários outros processos fundamentais ao organismo.

Quebra de carboidratos

Os carboidratos funcionam como o combustível do organismo. Fornecem energia para cérebro, medula e nervos periféricos, atuam na produção das células vermelhas do sangue e na articulação dos ossos, entre outras funções.

Quebra do glúten

Combinação de dois grupos de proteínas (gliadina e glutenina) encontradas dentro de grãos de trigo, cevada e centeio, o glúten está presente em diversos alimentos que integram a nossa dieta, como o pães, bolos e outras massas feitas de trigo, frituras empanadas, cerveja, carnes processadas, queijos e outros.

Mas se as enzimas são tão importantes assim para o nosso organismo, por que precisamos de suplementação? Nosso corpo não as produz? Este é o assunto da nossa próxima postagem: 5 razões para tomar enzimas digestivas.

Fonte: Essential Nutrition

Share

No Comments

Post a Comment