A exposição da mãe ao BPA durante a gravidez pode colocar seu bebê no caminho da obesidade – Nutrição e Desenvolvimento
logo

Bem Vindos ao Nutrição e Desenvolvimento

Horário de Atendimento
Segunda - Sexta 09:00AM - 17:00PM
Sábado - Domingo FECHADO
NOSSA GALERIA

Seg - Sex 9.00 - 17.00

55-11-3845-7267

Whatsapp 55-11-9833-2857

R. Guarará, 529 - Cj. 58 - Jardim Paulista, São Paulo

Top

A exposição da mãe ao BPA durante a gravidez pode colocar seu bebê no caminho da obesidade

Fonte: Essential

A exposição da mãe ao BPA durante a gravidez pode colocar seu bebê no caminho da obesidade

A exposição pré-natal ao Bisfenol A (BPA), um produto químico comum usado em garrafas plásticas de água e alimentos enlatados, está associada com medidas de obesidade em crianças de 7 anos de idade, de acordo com pesquisadores do Centro de Columbia para a Saúde Ambiental em Crianças (sigla em inglês, CCCEH), na Mailman School. Os pesquisadores são os primeiros a mostrar as associações entre a exposição pré-natal ao BPA – 94 por cento das mulheres estudadas tinham o produto químico em sua urina – e medidas de gordura corporal em seus filhos em idade escolar. Os resultados aparecem online no Environmental Health Perspectives.

Um dos produtos químicos mais utilizados, o BPA é encontrado em produtos que usamos todos os dias como garrafas plásticas de água, latas de metal de alimentos e recibos de papel térmicos. Existe uma preocupação de que no corpo, o BPA pode interferir no sistema endócrino, atuando como um composto que imita ou bloqueia os hormônios produzidos pelo organismo. Ele tem sido associado a vários problemas de saúde, como asma, ansiedade, TDAH, depressão, puberdade precoce em meninas, diabetes, obesidade e doenças cardíacas em adultos.

“Este estudo fornece evidências de que a exposição pré-natal ao BPA pode contribuir para as origens do desenvolvimento da obesidade, de acordo com medidas de gordura corporal em crianças, em oposição ao tradicional indicador do índice de massa corporal, que só considera altura e peso”, afirma a principal autora Lori Hoepner, DrPH, uma investigadora do Centro de Columbia para Saúde Ambiental da Criança e professora assistente no Departamento de Ciências da Saúde Ambiental e Ocupacional, da SUNY Downstate Medical Center.

Os investigadores analisaram amostras de urina e de composição corporal de 369 pares mãe-filho, um subconjunto de estudo de coorte urbana em curso do CCCEH, Nova York, desde a gravidez até a infância. A exposição ao BPA foi determinada medindo-se suas concentrações totais e dos seus metabolitos em amostras de urina recolhidas durante o terceiro trimestre da gravidez das mães e das crianças em idades de 3 e 5; altura e peso foram medidos em crianças de 5 e 7 anos de idade; adicionais medidas de tamanho corporal de circunferência da cintura e massa gorda também foram coletadas em crianças com 7 anos.

Após o ajuste para fatores socioeconômicos e ambientais, os pesquisadores descobriram que a exposição pré-natal ao BPA foi positivamente associada com o index de massa gorda – uma medida de massa de gordura corporal ajustada em altura, percentual de gordura corporal e circunferência da cintura em crianças de 7 anos. As crianças expostas a maiores concentrações de BPA pré-natal tinham níveis mais altos de adiposidade.

Quando os dados foram analisados separadamente por sexo, houve associação significativa entre o BPA e o índice de massa gorda e circunferência da cintura em meninas; não houve associação entre a exposição ao BPA pré-natal e resultados de gordura corporal em meninos. Também não houve associação observada entre os níveis de BPA na infância e obesidade – uma descoberta que os autores dizem indicar um maior nível de vulnerabilidade no período pré-natal.

“A evidência de que a exposição ao BPA pré-natal está associada a medidas de obesidade em crianças pode ser um fator subjacente importante na epidemia de obesidade”, diz o autor sênior Andrew Rundle, DrPH, professor de epidemiologia e codiretor do Projeto de Prevenção da Obesidade na Mailman School. “Produtos químicos que desregulam o sistema endócrino como o BPA podem alterar o metabolismo do bebê e a maneira que as células adiposas são formadas no início da vida.”

Para reduzir a exposição ao BPA, o Instituto Nacional de Ciências de Saúde Ambiental, EUA, recomenda evitar recipientes plásticos números 3 e 7, eliminar enlatados , e quando possível, escolher recipientes de vidro, porcelana ou aço inoxidável, especialmente para alimentos e bebidas quentes.

Fonte:https://www.mailman.columbia.edu/public-health-now/news/mom’s-exposure-bpa-during-pregnancy-can-put-her-baby-course-obesity

Share

No Comments

Post a Comment

  • January 2018
  •